Terra: Diários relatam incertezas e dramas da pandemia

 Terra: Diários relatam incertezas e dramas da pandemia

Reportagem publicada originalmente em 27.08.2020.

Por Silvio Barsetti

Conviver com parentes em casa infectados pelo vírus da covid-19, lidar com a perda de pessoas queridas vítimas da doença, com o desemprego, o pouco-caso de muitos com a pandemia, a angústia e aflição decorrentes do isolamento social, as incertezas, o medo; tudo isso diz respeito aos dias atuais e pontua várias histórias compiladas recentemente por Miriane Peregrino, doutora em Literatura pela UFRJ e atualmente trabalhando na Universidade de Mannheim, na Alemanha.

 

eia mais em: https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/diarios-relatam-incertezas-e-dramas-da-pandemia,8f8124a8879be4c1a621bc9245448e0ctozj9hqw.html

Reportagem publicada originalmente em 27.08.2020 no portal Terra.

Por Silvio Barsetti

Conviver com parentes em casa infectados pelo vírus da covid-19, lidar com a perda de pessoas queridas vítimas da doença, com o desemprego, o pouco-caso de muitos com a pandemia, a angústia e aflição decorrentes do isolamento social, as incertezas, o medo; tudo isso diz respeito aos dias atuais e pontua várias histórias compiladas recentemente por Miriane Peregrino, doutora em Literatura pela UFRJ e atualmente trabalhando na Universidade de Mannheim, na Alemanha.

Ela criou e organizou, com a ajuda de colaboradores, os “Diários de Emergência” – textos que detalham o cotidiano dos últimos meses de 61 pessoas, publicados em três edições especiais, e online, do “Jornal LiteraturaComunica”. São depoimentos, às vezes comoventes, de quem vive no Rio, de moradores do restante do País e de brasileiros no exterior.

“Quando começou o confinamento, todo mundo ficou paralisado, vieram a falta de sono, os pesadelos; não fazia sentido pensar em outros temas que não estivessem relacionados à pandemia”, disse Miriane, ao Terra. Primeiro, ela pediu o apoio de amigos, que eles abraçassem a ideia de escrever sobre a rotina. Logo, o projeto ganhou fôlego, espalhando-se pelas redes sociais e atraindo mais gente.

Cada qual com sua história. Do Piauí, por exemplo, a professora universitária Maria da Graças Targino registrou que a longa quarentena pouco mudou sua vida. “Afinal, perdi a noção exata de há quantos anos vivo num mundo que construí à parte por imposição da sociedade, que repudia sem palavras, de forma silenciosa, os que envelhecem.”

Esse acervo de Miriane traz também momentos curiosos e surpreendentes, como o de dois sonhos do historiador Thiago da Silva Ferreira, que vive na Tailândia, esmiuçados em 10 de abril. “Comecei a ter calafrios. Sonhei por dois dias seguidos que o Brasil tinha se tornado o epicentro da doença e que milhares e milhares morriam …”

Naquela data, o Brasil só confirmava 19 mil casos de covid-19 e chegava aos mil mortos pela doença. Agora, os óbitos se aproximam de 120 mil e o número de infectados já passa de 3,7 milhões. Ou seja, a realidade do pesadelo não se contesta.

“A saúde mental é um aspecto que atravessa os três “Diários de Emergência”, com as pessoas muito abaladas, à flor da pele, diante de um cenário tão incerto”, explicou Miriane, nascida em Itaboraí, na região metropolitana do Rio, e agora interessada em parcerias que viabilizem a publicação de um livro com todo esse material.

O jornal online está disponível gratuitamente na plataforma digital (https://issuu.com/literaturacomunica/) ou em redes sociais, como Instagram e Facebook, pelo endereço (@literaturacomunica).

Leia mais em: https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/diarios-relatam-incertezas-e-dramas-da-pandemia,8f8124a8879be4c1a621bc9245448e0ctozj9hqw.html

Related post